Financiamento coletivo no Brasil – Blog do Catarse

Dicas de Campanha / Mundo Crowd

O Bando do Financiamento Coletivo

Junte uma década de experiência no financiamento coletivo com a vontade de compartilhar conhecimento, e você tem O Bando. Formado por Téo Benjamin e Felipe Caruso, sua missão é fomentar o setor do crowdfunding nacional e ajudar projetos incríveis a se tornarem realidade por meio de cursos e consultorias em financiamento coletivo.

Nos dias 29 e 30 de julho eles farão uma imersão no Rio de Janeiro, onde 10 projetos terão a oportunidade de planejar suas campanhas de financiamento coletivo. A ideia é terminar o domingo com as campanhas praticamente prontas para o lançamento. (se você tem interesse, aproveita logo que as vagas são limitadas!)

Para entender melhor como funciona esse Bando, tivemos o prazer em dobro de conversar com o Felipe Caruso. Primeiro, pois somos apaixonados por qualquer movimento que gere diversidade, conhecimento e dinamismo ao financiamento coletivo no Brasil. E, segundo, pois o Caruso coordenou a Comunicação do Catarse por um bom tempo e ajudou a construir esse Blog que vos fala. Como diria o ditado, o bom filho à casa torna 🤘

 

- Conta mais sobre o Bando. O que é, por que vocês criaram e pra quem é o Bando?

Somos um Bando a serviço do financiamento coletivo no Brasil. Estamos envolvidos no ecossistema brasileiro de crowdfunding desde o início. Eu coordenei a comunicação do Catarse por três anos e o Téo atuou na Benfeitoria pelo mesmo tempo. Hoje atuamos juntos em consultorias, cursos e produzindo conteúdo com o objetivo de fomentar o desenvolvimento do setor.

A cenário do financiamento coletivo no brasil é muito rico. Nós estimamos que só em 2015, foram 25 mil campanhas lançadas e R$ 60 milhões girados em todos os modelos. As plataformas não dão conta de tudo, porque são startups com equipes enxutas e precisam se preocupar com sua operação, desenvolvimento e sobrevivência.

Nós ocupamos esse espaço de pensar o setor como um todo, articular com os personagens do modelo e nos aprofundarmos em projetos específicos. Financiamento coletivo tem suas particularidades e seus atalhos para uma campanha bem-sucedida. E nós conhecemos e estudamos esses caminhos.

Por fim, depois de seis anos no Brasil, o financiamento coletivo se encontra num momento fundamental da adoção da tecnologia: o salto dos primeiros adeptos para a maioria inicial. É aqui que a maioria das tecnologias morre, porque esses dois grupos não dialogam. Os primeiros adeptos querem a novidade e correr riscos. A maioria inicial quer algo seguro e que possa ajudá-los nos seus sistemas. Nós estamos aqui para ajudar o financiamento coletivo a dar esse salto.

 

- Quais foram as experiências marcantes que vocês já viveram até aqui, e quais aprendizados vocês podem tirar delas?

O financiamento coletivo da campanha do Marcelo Freixo à Prefeitura do Rio em 2016. Conseguimos levantar R$ 1,8 milhão com 14 mil apoiadores. Estabelecemos um novo recorde de doadores para uma campanha política na história das eleições no Brasil, de todos os cargos, dez vezes maior que o anterior.

Foi um momento muito bonito, quando Téo e eu pudemos colocar em prática muito do que discutimos nos cursos. Vivemos pela primeira vez de forma intensa uma arrecadação que explode as redes iniciais e ganha vida própria.

O crowdfunding abriu um novo espaço de participação política e inseriu novas pessoas na cultura da colaboração.

Neste momento, estamos escrevendo um livro para consolidar e compartilhar os aprendizados. É preciso que os candidatos conheçam o financiamento coletivo e que as leis facilitem a utilização da ferramenta. De todo o dinheiro arrecadado pela internet pelo meio milhão de candidatos no país, metade foi da nossa campanha. É um número bacana pra gente, mas ruim para o financiamento das eleições. Para resolver isso, recentemente colaboramos com a assessoria legislativa da Câmara dos Deputados para pensar como melhorar a legislação e incentivar o financiamento coletivo nas eleições. Se nossas sugestões forem aceitas pelos deputados, podemos esperar um resultado geral melhor nas eleições de 2018.

 

- Como o Bando pode ajudar pessoas que queiram tirar seus projetos do papel com financiamento coletivo?

Nós fazemos consultorias para campanhas de financiamento coletivo especiais. Ajudamos os projetos a avaliar o potencial de arrecadação, preparar narrativa, mapear a rede, definir recompensas, metas e a traçar estratégias de campanha.

Frequentemente, nós damos cursos e palestras sobre financiamento coletivo. Nos dias 29 e 30 de julho, vamos dar um curso chamado 2 meses em 2 dias. A ideia é selecionar 10 projetos e condensar o planejamento de campanha num final de semana intensivo. É uma oportunidade também que temos de atender projetos que sozinhos normalmente não faríamos, por falta de tempo e braço, uma vez que somos apenas dois. Se tiver interesse, se inscreva logo! Restam poucas vagas.

 

O BANDO