Financiamento coletivo no Brasil – Blog do Catarse

Assinaturas / Dados

Boletim #1: Jornalismo no Catarse Assinaturas

Em Dezembro, estamos comemorando 1 ano do lançamento do Catarse Assinaturas. Ao longo desse tempo, foram mais de 1 milhão de reais distribuídos para criadores e criadoras de conteúdos.

Desde então, nenhuma categoria abraçou mais o modelo que desenvolvemos para que mais pessoas pudessem viver do que amam fazer do que os jornalistas e as jornalistas. E isso é motivo especial de orgulho, já que essa é uma categoria tão importante para o fortalecimento da nossa democracia, além de representar um fortalecimento do papel do novo leitor, ouvinte, seguidor dos veículos de notícias.

Assim, a partir de agora vamos monitorar mensalmente o desenvolvimento dessa comunidade do Catarse Assinaturas. Nosso objetivo é gerar informação para que mais pessoas possam se juntar a esse movimento e potencializar o jornalismo nacional. Aliás, nós estamos com uma novidade também nessa frente… se não aguentar esperar,  pode ir para o final desse post.

Acompanhamento das assinaturas ativas por mês

Até o fechamento dessa edição do boletim (12/12), em Novembro batemos novamente o maior crescimento de assinaturas para jornalismo desde o lançamento. Em relação a Outubro, tivemos um crescimento de 72% em valor arrecadado, bem como o número de assinaturas foi mais do que dobrado.

Evolução assinaturas ativas por mês.

Evolução assinaturas ativas por mês.

Nesse momento, em Dezembro, estamos com 4373 assinaturas ativas, um crescimento de cerca de 11x desde o lançamento no final do ano passado. Em valor, esse crescimento é de um pouco mais de 5x, batendo a marca de R$73.321,16.

Um número interessante que é possível analisar é o ticket médio de apoio, que é de R$16,72 por assinante. Esse valor vem diminuindo desde o lançamento e foi muito puxado por milhares de assinantes do Mamilos que pagam R$9 para ter acesso a uma newsletter exclusiva das jornalistas, reduzindo a valor médio de contribuição.

Tabela de Assinaturas ativas, apoio médio e entrada de projetos por mês

Tabela de Assinaturas ativas, apoio médio e entrada de projetos por mês

Esse crescimento da categoria nesse último trimestre foi puxado principalmente pela entrada de novos projetos, mas também pelo crescimento da arrecadação de projetos que já estavam no ar anteriormente.

Para ilustrar isso, hoje estamos com 67 projetos online na categoria de Jornalismo, sendo que 32%, ou seja, 22 projetos, entraram nos últimos dois meses.

Já o crescimento de quem já estava na plataforma foi de cerca de 22,4%, puxado principalmente pelo crescimento do Anticast, Ponte Jornalismo e Mídia Ninja, entre o início de Outubro e Dezembro.

Campanhas que se destacaram em Outubro e Novembro

O jornalismo de peito aberto da Cris Bartis e Ju Wallauer  bateu todos os recordes de maior arrecadação em menor tempo do Catarse Assinaturas. O podcast que é um dos melhores de 2018 segundo a Apple, já é a maior campanha de assinaturas do Catarse.

A campanha que entrou no final de Outubro já bateu duas metas e está bem próxima de atingir a terceira. O Bruno tem uma relação muito boa com a sua comunidade de assinantes, já que só por conta dela é que ele tem uma emprego remunerado mês a mês agora.

As assinaturas da Ponte cresceram praticamente 100% entre outubro e novembro. O movimento foi bastante puxado por um editorial que ao veículo soltou ao final das eleições reforçando a necessidade de fortalecer as mídias independentes.

Da mesma maneira, o Anticast  cresceu bastante sua arrecadação a partir de outubro. O reconhecido podcast fez uma cobertura impecável das eleições e quase dobrou sua arrecadação mensal entre Outubro e Novembro.

A Multidão

Acreditamos que os números acima comprovam a hipótese de que existe um movimento na sociedade civil se organizando cada vez mais para lutar contra os indicadores alarmantes de concentração e falta de pluralidade na mídia brasileira. Vivemos em um país com uma mídia hegemônica controlada por um número pequeno de famílias, sob crescente controle religioso e influenciada cada vez mais por grandes grupos políticos e econômicos. Um cenário que vai diretamente contra a visão de uma sociedade plenamente democrática.

Percebemos aí uma oportunidade histórica para nós, sociedade civil, nos organizarmos com o objetivo de potencializar um fazer jornalístico crítico, com voz ativa e independente de interesses de partidos políticos e grandes grupos econômicos. Precisamos criar maneiras de as próprias pessoas financiarem diretamente um jornalismo plural, descentralizado, que informa, apura, desvenda e revela os meandros do poder e os fatos e soluções para problemas relevantes para a sociedade. Um jornalismo que aproxima o jornalista do leitor.

Se você não paga pelo jornalismo, na maioria das vezes os anunciantes estão pagando. E tem uma chance muito grande de eles não estarem defendendo os mesmos interesses que os seus.

Por tudo isso que lançamos a Multidão, um fundo coletivo que irá financiar todo mês projetos jornalísticos e contribuir para uma maior pluralidade na imprensa brasileira. Estamos na fase de mobilização, divulgando a ideia e construindo a mecânica do fundo com todas as interessadas e interessados. Fica aqui o convite para você conhecer a iniciativa, se cadastrar e compartilhar em sua rede.