Financiamento coletivo no Brasil – Blog do Catarse

Dicas de Campanha / Geral / Histórias de Projetos

Carlos Careqa e o aprendizado de uma campanha

Carlos Careqa

Após dois meses de uma intensa campanha, o músico Carlos Careqa conquistou o apoio de quase 400 pessoas e levantou R$ 35,5 mil para financiar o disco infantil para adultos Palavrão Cantado. Ele aprendeu que amigos nas redes sociais não são necessariamente apoiadores de um projeto de financiamento coletivo, que uma campanha é trabalhosa e guarda imprevistos e que esse processo provoca reflexões, no caso dele sobre a constante reinvenção do artista. O Careqa descobriu porque a plataforma se chama Catarse e contou para os seus apoiadores. Achamos que seria bacana compartilhar esse aprendizado com todos aqui no blog.

“O que aprendi com o Catarse”, por Carlos Careqa

“Foram dois meses ininterruptos, 60 dias de corpo a corpo. Era como se eu estivesse candidato a um cargo público. Todos dias acordar e vir para o computador arrebanhar mais colaboradores para financiar a gravação do novo CD.

No começo achei que seria mais fácil, pois tenho muitos ‘amigos’ no Facebook e outras redes sociais. Mas quem acha que a vida se resume em Facebook está enganado. Nossa vida é real.

Os amigos apoiaram, o boca a boca se espalhou. O boca suja do Careqa está fazendo um CD infantil chamado Palavrão Cantado. Aprendi que nunca estamos estabilizados em nossas conquistas. Aprendi que por mais que achemos que vamos conseguir o dia a dia revela que surpresas aparecem aqui e acolá.

Aprendi com o Catarse que como artistas estamos sempre recomeçando a cada dia. E que o contato direto com os nossos pares é a melhor forma de vivenciar isto. Nós que pretendemos viver de música estamos mais uma vez nos adaptando aos novos rumos da sociedade em que vivemos. Afinal, como já perguntaram, música serve pra que?

Existe uma enorme gama de produtos no mercado que existem através da música. E todos lucram muito com isto. Da palheta aos computadores, sistemas de áudio, cabos, equipamentos tudo é gerado pela música que se faz. Porém, o criador, o compositor destas músicas fica em segundo plano e todos acham que ele tem que disponibilizar tudo gratuitamente na rede.

Assim não conseguimos fazer download de tratamento dentário. Nem de conta telefônica. Muito menos de comida!
Para que continue existindo música é preciso que alguém financie o músico.

O Catarse está se mostrando uma ótima plataforma direta para este financiamento. Obrigado a todos que acreditam neste financiamento e entendem que é preciso muito mais do que uma boa intenção para realizar um trabalho.

Valeu e peido para todos.”