Financiamento coletivo no Brasil – Blog do Catarse

Geral / Histórias de Projetos

Eles largaram multinacionais e se juntaram à Roberta Sudbrack para lançar o novo produto da Deli&Co

Arthur Pitchon e Flavio Calic se conheceram quando tinham 3 anos, em uma escola infantil em Belo Horizonte. A amizade entre eles caminhou nas diferentes etapas de suas vidas. Adolescentes, estudaram juntos num curso técnico de administração no Sebrae-MG. Posteriormente, Arthur trabalhou na GE, de estagiário a gerente de projeto de TI. Flávio trabalhou no RH de algumas empresas do Grupo FIAT. A vontade de empreender sempre falou alto em suas vidas e as ideias de negócios recorrentemente se tornavam pauta em suas conversas.

Apaixonados por comida, eles criaram em 2016 a Deli&Co, com a missão de inspirar criatividade e encorajar a experiência na cozinha, democratizando produtos de alta qualidade e conhecimentos sobre culinária por meio de conteúdos online.

No início de 2017, lançaram, com frio na barriga, um Catarse pra financiar o primeiro produto da nova empreitada da dupla: as frigideiras de ferro fundido da Deli&Co. A apreensão virou surpresa quando em menos de 48h eles bateram a meta de R$30.000. Em 35 dias de campanha, 708 pessoas contribuíram com um total de R$200.358,00. Era o pontapé de uma história de sucesso.

Captura de Tela 2017-09-21 às 19.11.50

Com um planejamento exímio, eles entregaram as recompensas em tempo recorde e já estavam pensando nos próximos produtos. Se juntaram à chef Roberta Sudbrack –  eleita a melhor chef mulher da América Latina em 2015, segundo a premiação britânica ‘The World’s 50 Best Restaurants’ – e criaram o Dutch Oven da Deli&Co. Para lançarem o novo produto, recorreram novamente ao Catarse. A campanha ainda está no ar e já levantou R$268.205,00 com o apoio de 900 pessoas – e ainda tem mais 11 dias de campanha.

Nós batemos um papo com eles, onde dividiram conosco o porquê de escolher o financiamento coletivo, os resultados que eles alcançaram para além do financiamento e os aprendizados gerados nessa jornada.

1 – Até o fim do ano passado, vocês tinham empregos tradicionais em grandes empresas, o que despertou essa vontade de mudar e criar um negócio que vocês sonhavam?

Nós dois passamos por experiências em multinacionais por um bom tempo, mas o empreendedorismo sempre esteve em nossas veias por vários motivos. Acreditamos que o principal deles é porque somos netos e bisnetos de imigrantes. Nossas famílias tiveram que largar tudo por uma vida nova. Com esse espírito de quem está disposto a correr riscos por algo melhor, a vontade de abrir um negócio falou mais alto.

Por muitos anos, tivemos várias ideias que não saíram do papel. Até que um dia, unimos algumas paixões com um modelo de negócio concreto. Criar uma ideia e um conceito do “zero” pode parecer desafiador mas é o que nos incentivou a pular de cabeça no projeto da Deli&Co.

2 – Como a primeira campanha da Deli&Co, no início de 2016, ajudou nessa trajetória de vida de vocês?

A primeira campanha que fizemos no Catarse foi essencial para alavancar o desenvolvimento de novos projetos e organizar a estrutura que havíamos construído. Além do capital que levantamos ao longo da campanha, construímos uma base de clientes super engajados que nos ajudam frequentemente a otimizar os produtos e dar ideias para novos projetos. Essa base certamente é o ativo mais valioso que temos hoje e que nos inspira a ter novas ideias.

3 – Por que nos 2 produtos lançados pela Deli&Co vocês preferiram crowdfunding a uma pré-venda tradicional?

O crowdfunding ainda é um modelo pouco utilizado e difundido no Brasil, principalmente, no que diz respeito ao lançamento de produtos. As pessoas ainda vinculam a palavra financiamento coletivo com uma doação. Mesmo assim, consideramos a utilização do modelo pela maior exposição que poderíamos ter.

Nossa marca era recém lançada e ainda não tínhamos nas mãos, as ferramentas adequadas para atrair o maior público possível.Além disso, um apoiador de financiamento coletivo é bem diferente de um cliente tradicional de e-commerce. Ele está disposto a ajudar e opinar sobre aquela ideia, falando dos pontos fortes e também das fragilidades. Essa construção colaborativa e a proximidade do cliente é um dos principais motivos que nos levou a lançar um novo produto pelo Catarse.

4 – Quais as principais portas que foram abertas após o lançamento das frigideiras Deli&Co?

Após a aceitação que tivemos com o lançamento das frigideiras, percebemos que estávamos criando um negócio que tinha um certo valor. Os resultados foram super positivos em todos os sentidos. Nós criamos nossa primeira rede de clientes e interessados pela marca.

Em termos financeiros, conseguimos um fôlego que nos ajudou a desenvolver o nosso novo produto e também conseguimos validar um modelo mínimo de operação do nosso e-commerce.

Outro ponto muito importante é que começamos a desenvolver conteúdos de forma mais estruturada, através de vídeos e outros meios, algo que já está na missão quando concebemos a empresa.

5 – Como foi o processo de aproximação e concretização da parceria com a Roberta Sudbrack para criar o Dutch Oven?

Tínhamos na cabeça que além de desenvolver um novo produto, queríamos agregar ainda mais valor com a chancela de alguém especial. Foi então, que nos encontramos com a Roberta, uma pessoa que estava num momento de reinvenção e que tem tudo a ver com a nossa marca.

No primeiro encontro tivemos um pouco de frio na barriga pois não sabíamos qual seria sua reação ao falarmos de desenvolver um produto em conjunto. A sensação logo passou porque a sinergia foi imediata.

6 – Depois de dois projetos que já atingiram a meta no Catarse, o que vocês consideram essencial para o sucesso de uma campanha?

Comunicação e planejamento!

É preciso ser claro quanto a mensagem que você está transmitindo: qual é a ideia? Do que você precisa? Onde quer chegar? Todos esses pontos devem estar em evidência na comunicação de uma campanha, tudo isso em vídeo de menos de 3 minutos de duração. É como se fosse um pitch para investidores. Pode parecer fácil, mas com certeza é uma das partes que dá mais trabalho.

Planejar os possíveis cenários de um projeto de financiamento coletivo também é essencial. Na primeira campanha que lançamos fomos surpreendidos com o resultado. Tomamos um susto. Tivemos que ralar dia e noite, mas no final demos conta do recado! Alinhar as expectativas com os apoiadores quanto a entregas e atualizações do projeto é de suma importância.

______________

A campanha de financiamento do Dutch Oven em parceria com a Roberta Sudbrack fica aberta no Catarse até segunda-feira, 02/outubro, então se está interessado em conhecer mais dos produtos que eles fazem, essa é a hora.