Financiamento coletivo no Brasil – Blog do Catarse

Geral / Novidades Catarse

Mais projetos, mais contato, mais gente, mais tudo!

Projeto Anônimo

O crescimento do Catarse continua constante. Em setembro, batemos o número de projetos finalizados de 2013 (747) e ainda temos um bom trimestre pela frente para estabelecermos novos patamares. Com as 200 campanhas que estão no ar neste momento, já é certo que passaremos dos mil projetos em 2014.

Para manter a proximidade com a comunidade, vamos investir cada vez mais em encontros presenciais. No dia 6 de novembro, Luis Otávio Ribeiro e Rodrigo Maia, sócios-fundadores do Catarse, darão uma oficina sobre financiamento coletivo no HUB Escola, em Florianópolis. As vagas são limitadas, e a inscrição pode ser feita aqui. Divulgaremos sempre por aqui no blog mais informações sobre palestras e eventos em que estaremos envolvidos.

Para conseguir atender a todos com o carinho e atenção desses quase quatro anos de trabalho e manter a organização da casa, reforçamos nosso time de atendimento e administração. Com vocês Alyne, Mari e João, o mais novo xamã do processo catártico!

Alyne

Nome: Alyne Rangel Idade: 23 Função: atendimento à comunidade Cidade: Rio de Janeiro

Minibio:

Quase gente grande, sou uma jovem fluminense ~mas carioca de coração~ que ainda tem muitas utopias como guias. Geminiana com ascendente em gêmeos e de espírito humanitário e voluntário. Fazedora de caretas e expressões faciais involuntárias, irmã mais velha e apreciadora de café frio. Só consigo fazer bem aquilo que gosto e acredito.

O Catarse é?

É de todo mundo e todo mundo é dele também. É alternativa, é coletivo, é plataforma e são pessoas. É sonho e é realidade.

O que você vai fazer no Catarse e o que e gostaria de fazer?  

Vou responder as dúvidas da galera! o/ E como estou longe de saber tudo isso é uma baita responsa. :| Vou ficar em contato com os apoiadores, curiosos e pessoinhas em geral que querem saber mais sobre o Catarse e têm dúvidas, questões, comentários, sugestões, broncas e elogios. Quero poder ajudar todo mundo que escreve pra gente e a difundir melhor as ideias e práticas do mundo do financiamento coletivo.

Algo mais?

Mais amor por favor.

 

Mariana

Nome: Mariana Bartz Idade: ¼ de século =) Apelido: Mari (ou Bartz, depende de onde a gente se conhece) Função: Curadora/ curandeira de projetos Cidade: Rio de Janeiro/ Porto Alegre/ São Paulo

Minibio: Sonhadora e emotiva. Estudiosa das pessoas. Apaixonada por música brasileira independente, chocolate e dança flamenca. Belchior me define: “Amar e mudar as coisas me interessa mais” <3

O Catarse é? Uma forma de amar e mudar as coisas <3 Um movimento, uma revolução. Um olhar atento e humano pra vida.

O que você vai fazer no Catarse e o que gostaria de fazer? Vou receber os projetos de vocês e ajudá-los em tudo que for necessário, na medida do impossível :)

Algo mais? Vocês são demais!! :D

João

Nome: João Pedro Azevedo Maldos Idade: 24 anos Apelido: JayPi / Xamã do Processo / Joãozinho Função: Administrativo Cidade: São Paulo

Minibio: Apaixonado pela militância socioambiental, direitos humanos e música folk! Desde muito pequeno fui levado a conhecer de perto as dificuldades e o sofrimento daqueles que não tiveram as mesmas oportunidades que me foram oferecidas. Quando mudei para São Paulo passei a observar atentamente os contrastes das ruas, criando dentro de mim a vontade de trabalhar para encontrar formas de cruzar estas pontes e aproximar a sociedade de si mesma. Igualdade e justiça para todxs!

O Catarse é? Uma longa estrada na qual demos os primeiros passos, e uma forma de burlar o sistema e preparar o solo para lindas plantinhas florescerem!

O que você vai fazer no Catarse e o que e gostaria de fazer? Junto com o Diego cuido da parte administrativa do Catarse, desde a contabilidade até a compra de passagens, reembolsos… somos o departamento de ADM, RH e FIN em um só! Eu gostaria de continuar nesta trilha junto com estas pessoas maravilhosas, tornando possível e cada vez maior o nosso sonho coletivo!

Algo mais?

A Arte, diz-se, não é um espelho, mas um martelo. Não reflete, molda.

 Leon Trotsky, Literatura e Revolução (1924)