Financiamento coletivo no Brasil – Blog do Catarse

Novidades Catarse

Por que a gente mudou a taxa de serviço do Catarse?

Ah, esse blog e um porão escuro, daquelas casas erguidas no século XVIII e abandonadas há um par de décadas, já estavam prestes a juntar o mesmo volume de teias, todas densas e, quiçá, intransponíveis. Mas eis que de ímpeto surge um assunto importante pra reinaugurar esse canal de comunicação que a gente tanto gosta, mas que não tem dado conta de deixar lindão como deveria – por sinal, alguém que gosta do Catarse e de comunicação está interessado em cooperar com o nosso blog? x)

Bem, viemos aqui hoje pra falar da alteração que a gente fez pra taxa que o Catarse cobra pelos seus serviços.

Antes, do que era arrecadado para os projetos que conseguiam atingir sua meta, 5% ficava com o Catarse, e um outro valor, variável, ficava com o meio de pagamento (responsável pelas transações financeiras e tal). A partir de agora (18:34h, horário de Brasília, do dia 9 de setembro de 2011, pra se fazer os devidos registros =P), a taxa que ficará com o Catarse será de 7,5%.

(Ahhh, uma coisa bem importante! Essa nova taxa só vale para os projetos que forem enviados a partir de agora, todos os outros, ou seja, aqueles que estão no ar ou os que já foram enviados, continuam com a taxa de 5%, ok?)

Desde que lançamos a plataforma, sugerimos para os autores dos projetos que acrescentassem, no valor que pediriam para realizar o projeto, cerca de 12%, de onde 5% iria para o Catarse e até outros 7% para o meio de pagamento.

Ao longo desses quase 8 meses desde que o site foi lançado, percebemos duas coisas:

a) A taxa do meio de pagamento nunca chegou a 7%. Só teve uma vez que beijou os 6%, mas, na graaaaande maioria dos projetos, esse valor gira entre 4% e 5%, sendo que algumas vezes esse número foi até menor.

b) Hoje, o Catarse tem 8 pessoas trabalhando. Por enquanto, pra projetos bem-sucedidos, foram movimentados quase R$550 mil reais (o que é fantástico). Como ficamos com 5% disso, nossa receita até então, somando os seis meses de funcionamento, foi de pouco mais de R$25mil. Bem, desse valor ainda tem que ser descontado os impostos, pra daí a gente pensar em pagar as nossas contas do dia-a-dia. Desse jeito, acaba sobrando muito pouquinho, quando sobra, para as pessoas que trabalham por aqui (e a gente acha que é justo remunerar todo mundo). Aumentar a taxa vai fazer a gente dar uma respirada e caminhar com passos mais firmes para sermos sustentáveis.

Bem, como costumávamos comunicar que a taxa conjunta (Catarse + Meio de pagamento) era de 12%, isso praticamente não mudará. Como em geral a taxa do meio de pagamento fica em 4,5%, continuaremos, na maioria das vezes, com uma taxa somada de 12% (sim, às vezes será um pouquinho maior, caminhando pra 12,5% e em raríssimas vezes 13%, mas não será a regra).

Como é importantíssimo na nossa vida ser transparente com todas as milhares de pessoas que já apoiaram um projeto, já simpatizaram com algum outro ou que gostam do trabalho que a gente faz, nada mais justo do que explicar, nesse breve texto, nossas razões para essa decisão. E, falando em transparência, achamos legal compartilhar essa tabela com todos os projetos que foram bem-sucedidos no Catarse (até o dia 4 de setembro), quanto eles levantaram, e por aí vai. =)

Cada vez mais estamos empolgados em criar, com a ajuda de vocês, um espaço de trocas fantástico pra viabilizar a realização dessa infinidade de projetos geniais.

Vamos nessa? o/