Financiamento coletivo no Brasil – Blog do Catarse

Dicas de Campanha / Geral

Como começar um projeto criativo sem nenhum dinheiro?

A principal dificuldade da maioria dos empreendedores iniciantes é dinheiro. Ou pior, a falta dele. Mesmo com uma mente inovadora, vontade de trabalhar duro, um projeto criativo bem estruturado e com potencial, conseguir um investimento pode ser um fator decisivo para seguir (ou não) adiante. Para que o seu sonho não vá parar no fundo de uma gaveta antes mesmo de você tirá-lo do papel, confira 5 dicas para que o investimento financeiro não seja um empecilho para o sucesso:

Tire a sua ideia do papel — aos poucos

Além de ter uma renda necessária para iniciar um projeto criativo, um negócio precisa de capital de giro para se manter nos primeiros meses. Por isso não se arrisque pedindo demissão ou abrindo mão de toda a sua fonte de renda atual para investir nesse sonho.

Não duvidamos que a sua ideia seja extraordinária e promissora, mas é preciso ter cautela para lidar com um mercado incerto. Vá tirando a sua ideia do papel aos poucos, sempre destine os seus investimentos aos setores mais importantes, que poderão impulsionar o seu crescimento, até que o seu negócio alcance independência financeira.

Procure um investidor anjo

Um investidor anjo é uma pessoa que faz investimentos em empresas que estão começando, mas possuem alto potencial de crescimento. É uma das estratégias mais comuns entre startups para se financiarem.

Nesse caso, é importante pesquisar quais atuam na área do projeto e criar um pitch de impacto, que é uma forma resumida de falar sobre a empresa.

Ter uma equipe bem entrosada é uma forma de demonstrar profissionalismo e potencial. Também é importante apresentar um bom plano de negócios e metas definidas para o futuro, que podem se concretizar caso você consiga esse investimento.

Busque uma renda extra

Muitos empreendedores conseguem ter uma meta clara de quanto precisam para iniciar o seu projeto criativo, mas não possuem fundos para dar esse start. Até conseguirem estabelecer o seu nome no mercado e obterem um retorno, precisam levar uma vida dupla, através de empregos paralelos ou investindo em outras áreas que gerem uma renda extra.

Os criadores do Airbnb, por exemplo, tiveram que vender camisas, canecas e até caixas de cereais para conseguirem seguir o sonho de transformar o maior site de hospedagem do mundo em um negócio rentável.

Faça parcerias

Uma boa forma de encontrar investimentos é através de pessoas que começaram como você. Espaços de coworking, incubadoras e comunidades de startups reúnem mentes criativas que podem te dar uma boa rede de contatos ou até mesmo ajudar a financiar os seus planos.

Se o seu projeto criativo envolver um site ou blog, você também pode procurar marcas que estejam em busca de publicidade e espaços para divulgação para atuarem como parceiras.

Em último caso, um sócio pode entrar com o capital necessário para que a sua ideia cresça. Mas, nesse caso, ele não estará apenas nos bastidores como um investidor anjo e, sim, atuando diretamente no funcionamento da sua empresa.

Invista em campanhas de crowdfunding

O crowdfunding, mais conhecido como financiamento coletivo, é uma estratégia muito utilizada por empreendedores e startups que estão começando. Ele também é a opção de pessoas que precisam de ajuda para financiar um projeto ou viagens para competições profissionais e acadêmicas.

Lançar uma campanha de financiamento coletivo não é apenas pedir dinheiro para estranhos. Em vez disso significa apresentar uma ideia inovadora que beneficiará pessoas futuramente. As campanhas mais bem-sucedidas são as que conseguem envolver um público específico.

Não basta apresentar algo com foco no próprio benefício, é preciso fazer com que as pessoas também acreditem que aquele seu investimento, mesmo que pequeno, será capaz de fazer a diferença no mundo.

Quer saber mais sobre como funciona o financiamento coletivo? Baixe o nosso inforgráfico: