Financiamento coletivo no Brasil – Blog do Catarse

Dicas de Campanha / Histórias de Projetos

Um disco sobre coletividade, feito de maneira coletiva

Conversamos com o Thiago Augustini, baterista da BTRX, que viabilizou por meio de um financiamento coletivo no Catarse o MOTIRõ, terceiro CD de sua banda. Foram  R$31.644 arrecadados por mais de 380 pessoas. Na conversa, realizada por ocasião da nossa página especial sobre Música Independente e Financiamento Coletivo, Thiago nos contou porque escolheu o Catarse, os desafios de lançar um álbum independente com a ajuda direta de seu público e os aprendizados gerados nesse processo. Leia a entrevista abaixo, na íntegra:


 

Por que você escolheu fazer um Catarse ao invés de buscar outra forma de financiamento (grana própria, editais, patrocinadores)?

Desde quando começamos a planejar o novo trabalho do BTRX a gente queria fazer o financiamento coletivo. E a iniciativa veio por conta do conceito do MOTIRõ (nosso novo disco) que aborda o tema coletividade. Não tinha como ser diferente e o Catarse era o meio perfeito para botar essa ideia em prática.

 

Quais os medos que vocês tinham antes de lançar a campanha e como fizeram para encará-los e superá-los?

Os principais medos quando você começa a pensar no projeto giram em torno do alcance da meta. Não tem jeito. O frio na barriga é um fato. Qual a o valor a gente pede?, quais recompensas?, será que vai ter publico pra isso?, como a gente vai fazer para manter o ritmo da campanha alto? Os questionamentos que o medo te faz ter, são exatamente as coisas que vc precisa se preocupar mesmo hehe. Basicamente o que nós fizemos foi pegar essas perguntas e tentar responde-las da melhor forma possível olhando para nossa rede de contatos, merchandising da banda que já estava pronto e a gente poderia aproveitar para o projeto, unir a proposta do disco com o conceito de financiamento coletivo, envolver as pessoas próximas da banda no projeto, etc. E assim, ponto a ponto, a gente foi sentindo segurança em cada uma das respostas que a gente ia encontrando. Claro que o medo NUNCA passa, aliás, nem deve passar porque se você transforma esse medo em combustível para correr atrás do seu sonho, cara, não tem como dar errado a campanha.

 

Qual foi o sentimento de vocês quando o projeto bateu a meta?

A gente alcançou a meta faltando 3 dias para o final da campanha. Eu não consegui dormir. Eu chorei. Fiquei eufórico. Liguei pra todo mundo da banda gritando no telefone. Foi uma celebração incrível que jamais vai sair da minha cabeça.

 

Qual foi o maior aprendizado com o processo da campanha?

Com essa campanha a gente descobriu o real significado da palavra resiliencia hehehe. Também descobrimos que temos pessoas incríveis do nosso lado. Foi realmente um MOTIRõ.

 

Se você quer entender como viabilizar seu projeto de música no Catarse, Baixe nosso Guia do Financiamento Coletivo e receba em seu email dicas especiais sobre como usar o financiamento coletivo para sua campanha: