Financiamento coletivo no Brasil – Blog do Catarse

Dicas de Campanha / Geral

Afinal, o que é crowdfunding?

Com mais de 20 anos de estrada, 6 discos gravados e milhares de fãs espalhados pelo Brasil, os capixabas do Dead Fish tinham a intenção de lançar um novo álbum em 2014, mas também tinham um problema: não havia dinheiro para isso. Afinal, sem ter laços com grandes gravadoras, não é qualquer banda que consegue 60 mil reais da noite pro dia para gravar um disco. E foi daí que surgiu a ideia: tentar bancar o disco através do crowdfunding, ou, como costumamos chamar, financiamento coletivo. Uma ideia que não apenas funcionou como também fez história no Brasil. Mas talvez você esteja se perguntando “tá, mas o que é crowdfunding”?

Bem, se esse for o seu caso, não se preocupe, porque iremos explicar tudinho por aqui a seguir. Confira!

O que é crowdfunding

Imagine que você tem uma baita ideia para um projeto mas não tem dinheiro suficiente para produzi-lo — como foi o caso do pessoal do Dead Fish. Durante muitos anos, as maneiras de tentar colocá-la em prática seriam:

  • Por meio de uma lei de incentivo fiscal ou edital
  • Uma grande empresa que topasse financiar
  • Empréstimo bancário
  • Juntar grana do próprio bolso até conseguir a verba total

Essas opções não são acessíveis para todo mundo ou poderiam ser muito burocráticas e demoradas. Tudo isso, no entanto mudou com o Catarse e chegada do modelo de financiamento via crowdfunding.

Popularizado graças à internet, esse sistema de financiamento usa a web para conectar a pessoa que tem uma boa ideia com as pessoas interessadas em pagar para tirá-la do papel. E uma das formas de incentivar a colaboração é oferecer recompensas diferentes para cada valor investido.

Vamos supor que você esteja a fim de lançar um disco: através de sistemas de crowdfunding você pode estipular que com a ajuda de R$ 10 a pessoa vai ganhar o download do disco, com R$ 20 uma cópia física do disco, com R$ 30 o disco autografado… ou seja, dá para criar camadas de recompensas diferentes para cada tipo de fã — ou de bolso.

Tipos de projetos que podem ser viabilizados pelo crowdfunding

Bem, até agora estamos dando muitos exemplos relacionados ao mundo da música, mas não é só de voz e violão que vive o crowdfunding. Games, livros, filmes, drones, aplicativos, roupas, produtos de alta tecnologia, tudo pode ser produzido através de financiamento coletivo.

O documentário 3×4 – Se eu não fosse eu é um bom exemplo de produção audiovisual que está prestes a ganhar vida graças a esse modelo de produção. Idealizado e roteirizado por Natasha Sierra e Isadora Cecatto, essa web série mostrará a vida de uma jornalista que cansada do seu dia a dia resolve tirar férias dela mesma, inventando um novo nome e buscando novas experiências, totalmente diferentes das que ela está acostumada a ter. .

Além dele, o game Senhora Volta Aqui, inspirado em um dos vídeos mais viralizados do ano, também é outro exemplo de produto que pode ver a luz do dia graças ao sistema de crowdfunding. E como já dissemos por aqui, até produtos mais complexos, como foi o caso do sensacional Mola, estão sendo  produzidos através desse modelo de financiamento.

Então tá, mas como colocar uma projeto para ser financiado dessa maneira? O que é preciso fazer? É o que iremos abordar a seguir.

Como criar uma campanha de crowdfunding

Então, agora você ficou empolgado em produzir um projeto via crowdfunding. Que maravilha! Mas antes de botar a mão na massa é bom saber o que é necessário para isso, certo? Então separe o papel e a caneta e vamos lá.

Primeiro passo: a ideia

Antes de mais nada você tem que saber ao certo o que vai ser o seu projeto. Se for um disco, é bom dizer qual é o estilo musical e onde você (ou sua banda) pretende gravar as faixas, se for um aparelho, deve explicar suas funcionalidades e se for um livro, dizer sobre o que é a história e até quem irá fazer a capa dele.

Segundo passo: o planejamento

Ter uma boa ideia não adianta se você não souber planejar a sua execução. Saiba exatamente o que será necessário para que ela ganhe vida — se for um aplicativo, entenda que vai precisar de programadores e designers, e, se for um filme, vai precisar de câmeras, editores, iluminadores e vários outros profissionais — e quanto tempo levará para que ela ganhe vida. Não prometa algo para janeiro se você só puder entregar em agosto.

Terceiro passo: a grana

Agora vem aquela parte do dinheiro. Pense direitinho quanto será necessário para entregar o seu produto com o máximo de qualidade possível e dentro do prazo estipulado. Aproveite também para fazer uma pesquisa de mercado e ver se o valor cobrado pelo seu produto está na média de outros do mesmo estilo. Por fim, calcule também a taxa que a plataforma de crowdfunding vai descontar da arrecadação total.

Quarto passo: divulgue!

Com tudo pronto é hora de divulgar o seu projeto para o mundo. Crie uma fanpage e anúncios no Facebook — já demos algumas dicas sobre esse tema por aqui —, um perfil no Twitter e use o Instagram para promover a sua ideia em todos os cantos. Quanto maior e melhor for a sua estratégia de divulgação, mais fácil será a captação dos recursos necessários.

Ah, e não se esqueça de caprichar na hora de bolar uma campanha para o seu projeto. Produza vídeos de qualidade, tire fotos, mostre alguns rascunhos da sua ideia, trechos de músicas… enfim, deixe aquela ideia bastante atraente para os possíveis financiadores.

Agora você já sabe o que é crowdfunding, como esse sistema funciona e até como criar uma bela campanha de financiamento com esse modelo. Resumindo: já está pronto para colocar o seu próprio projeto no mundo! Portanto, não perca tempo, organize as suas ideias e coloque de uma vez por todas a mão na massa!

Gostou do nosso post? Gostaria de comentar ou saber um pouco mais sobre crowdfunding? Então deixe a sua opinião ou a sua pergunta por aqui na caixa de comentários.