Financiamento coletivo no Brasil – Blog do Catarse

Dicas de Campanha / Geral

Como uma produtora colaborou em quatro projetos e arrecadou R$ 120 mil

Flávia Amorim

A produtora cultural Flávia Amorim foi uma das responsáveis pelo sucesso de quatro campanhas que passaram recentemente pelo Catarse. Conheça oito dicas preciosas, o trabalho e a trajetória da “consultora de financiamento coletivo” que ajudou a arrecadar mais de R$ 120 mil para projetos criativos. Leia seu relato abaixo.

“Há alguns anos eu trabalho com produção cultural para artistas e eventos de diversas áreas como música, teatro, cinema e artes visuais. Ao longo da minha carreira conquistei e administrei verbas concedidas por instituições públicas e privadas para projetos culturais e mais recentemente trabalhei com projetos de financiamento coletivo pela plataforma Catarse.

Antes de falar da minha experiência com crowdfunding, é importante entender o trabalho do produtor cultural. Produtor é aquela pessoa que corre atrás da venda, que administra a planilha de custos e receitas, escreve projetos pontuais, contrata os serviços necessários para a realização das atividades, sempre mantendo como meta a sustentabilidade e qualidade do evento em que está envolvido.

Durante esse processo de trabalho acabei conhecendo o modelo de crowdfunding e busquei estudá-lo, já que nem todas as fontes de recursos são adequadas a qualquer tipo de projeto. Busquei entender esse modelo de financiamento, como utilizá-lo e quais as plataformas disponíveis.

Em menos de um ano colaborei para a arrecadação de cerca de R$120 mil distribuídos em quatro diferentes projetos, sem burocracias e ainda promovendo o trabalho dos artistas envolvidos.

Edição do vídeo da Negahamburguer

Edição do vídeo do projeto Beleza Real, da Negahamburguer

Negahamburguer

Quando eu conheci a artista Negahamburguer – para iniciar uma parceria de produção cultural –  houve pela primeira vez a possibilidade de utilizar os meus conhecimentos sobre formatação de projetos, marketing digital e planejamento na administração de uma campanha de financiamento coletivo.

A Negahamburguer estava há poucos dias de colocar sua campanha no ar com o objetivo de financiar um livro de ilustrações. Articulei então um produtor de vídeo para realizar uma divulgação com mais qualidade e orientei na formatação da apresentação do projeto dentro da plataforma Catarse e também no desenho das recompensas.

Em apenas 18 dias a meta inicial de R$ 20 mil havia sido atingida, assim tivemos que calcular novas metas e recompensas para melhorar ainda mais o projeto.

Além de alcançar o dobro do previsto inicialmente a artista teve um aumento de fãs na sua página no facebook, passando de 15 mil para 65 mil fãs ao longo da campanha.

Ainda trabalhei na produção do livro, no lançamento e na entrega das recompensas. O trabalho foi grande mas compensador para o público da artista e para todos os envolvidos.

Zine XXX

Ilustração de Laura Athayde utilizada como estratégia de divulgação do projeto Zine XXX

Zine XXX

Durante a campanha da Negahamburguer tive contato também com o projeto Zine XXX que já estava no ar e tinha cerca de 30 dias para atingir a meta. A autora do projeto, Beatriz Lopes, aceitou minha proposta para colaborar na divulgação da campanha, o que me deixou bem feliz já que o objetivo era a publicação de zines só com trabalhos de autoras mulheres.

Não havia tempo e nem recursos para alterar o video do projeto Zine XXX então sugeri a utilização de ilustrações das autoras envolvidas na proposta para fazer uma divulgação massiva e utilizando a principal identidade do projeto: os desenhos. Essas imagens e releases foram distribuídos principalmente em comunidades, grupos, páginas, blogs e sites feministas destacando uma das causas do projeto que é a maior visibilidade de quadrinistas mulheres. A campanha atingiu quase o dobro do objetivo inicial.

 

Ilustração da Sirlanney em comemoração ao sucesso do projeto Magra de Ruim

Ilustração da Sirlanney em comemoração ao sucesso do projeto Magra de Ruim

Magra de Ruim 

O Zine XXX  me fez ter contato com algumas artistas dos quadrinhos, uma delas é a Sirlanney, que também queria viabilizar o projeto de um livro de ilustrações, uma coletânea dos seus principais trabalhos. E lá fui eu mais uma vez colaborar na formatação do projeto, no desenho das recompensas e na divulgação na internet.

O projeto Magra de Ruim da Sirlanney teve 132% de arrecadação.

Uma característica da divulgação do projeto Magra de Ruim foi utilizar a própria personagem como divulgadora da campanha. A Sirlanney fazia quadrinhos pedindo apoio e até contando como estava ansiosa pelo sucesso do projeto.

Bastidores da Clara Averbuck

Bastidores do vídeo do projeto da Clara Averbuck

Toureando o Diabo , de Clara Averbuck

Outro projeto no Catarse com o qual me envolvi foi o do novo livro da escritora Clara Averbuck. Recebi o convite da empresa de gestão cultural GestaCultura para realizar essa campanha. A escritora já tinha o anseio de utilizar o  financiamento coletivo para a publicação de seu próximo livro. Pelo perfil e capacidade de mobilização da escritora nas redes sociais, realmente, o crowdfunding era uma alternativa viável. Nosso trabalho foi calcular todos os custos de produção do livro (objetivo), levantar as mídias que poderiam divulgar a campanha, desenhar recompensas e os custos gerais do projeto. Também orientamos na divulgação e trabalharemos na produção gráfica e nas entregas das recompensas.

O projeto “Toureando o Diabo” da Clara Averbuck teve sucesso e boa repercussão na mídia, criando inclusive pauta sobre o uso alternativo do financiamento coletivo dentro do mercado editorial.

É obvio que a qualidade do trabalho do artista e da proposta foram fundamentais para o sucesso dos projetos, mas uma campanha não anda sozinha. Se não houver planejamento e força na mobilização não se consegue atingir a meta.

Sinto que o meu trabalho é auxiliar e orientar os artistas para que consigam alcançar seus objetivos. Eles são os criativos, os criadores do projetos, eu apenas oriento se essa é a melhor fonte de recursos a ser utilizada no momento, quanto custa o seu sonho, quantas pessoas serão necessárias para tornar esse sonho realidade e como fazer tudo isso acontecer dentro de prazos que satisfaçam também o público que estará ansioso em receber suas recompensas.

Com a experiência nesses projetos deixo oito dicas para quem for colocar uma campanha no ar:

1. Faça o orçamento de todos os custos, inclusive das recompensas e serviços – caso contrário, corre-se o risco de subestimar o valor de seu projeto e depois ter dificuldades para produzi-los;

2. Calcule quanto tempo você terá para produção – ter um cronograma facilita na definição do início da campanha, produção do produto/atividade e entrega de recompensas;

3. Considere o valor das vendas como receita para seu projeto e assim o valor mínimo necessário para seu projeto será apenas o do custo de produção;

4. Avalie sua presença nas redes sociais – se você não sabe quantas pessoas se interessam por seu trabalho ou qual o perfil delas será difícil desenhar recompensas que sejam atraentes a esse público;

5. Avalie sua relação com o público – artistas que não dialogam com os fãs terão dificuldade para engajá-los em uma campanha;

6. Busque manter a identidade do seu trabalho em toda a divulgação;

7. Use o seu melhor: se é escritor então abuse das palavras, se é cineasta crie teasers, se é ilustrador espalhe seus desenhos na rede e por aí vai..;

8. Esteja atento à data de lançamento da sua campanha – em alguns períodos como eleições, festas de final de ano ou férias as pessoas se afastam da vida online ou, ainda, determinados assuntos ocupam muito espaço (como a Copa do Mundo) dificultando a atenção em uma campanha.

Acredito que o financiamento coletivo é uma excelente alternativa para projetos inovadores, criativos e, principalmente, pequenos. Com menos burocracia do que um edital público é possível realizar atividades criativas mobilizando uma grande audiência.

Mas tem que planejar e se dedicar!”

Flavia Amorim – é formada em Relações Pública e Gestão de Projetos Culturais. Está adorando a vida de consultora e planner de campanhas de financiamento coletivo.

Email: flaviacmamorim@gmail.com

FB: www.facebook.com/flavia.cultura

Skype: flavia.cultura