Este jovem poeta irá doar 100 exemplares de seu primeiro livro para bibliotecas comunitárias

Poetas são pessoas com sensibilidade extra. E, algumas vezes, essa forma generosa de enxergar a vida transborda o papel. O escritor Bruno Fontes, que tem campanha no ar para publicar seu primeiro livro de poemas, decidiu doar 100 exemplares do título inédito O Que Eu Faço com a Saudade? para bibliotecas comunitárias, ONGs e outras instituições ou pessoas que sejam apaixonados por livros.

A publicação, ilustrada pelo artista recifense Filipe Simões, reúne crônicas líricas, escritas por Bruno Fontes nos últimos dez anos, após o fim de seu primeiro amor. Popular no Facebook e no Instagram, o poeta já encanta por lá milhares de seguidores com seus versos românticos, e está prestes a transformar este trabalho em um belo livro impresso.

Durante o planejamento das recompensas para campanha no Catarse, Bruno achou interessante permitir ao apoiador, além de adquirir o próprio exemplar, fazer com que o livro chegasse a pessoas e lugares carentes de literatura. "Quem apoia no Catarse são naturalmente pessoas dispostas a ajudar, mesmo que seja apenas para agradar um amigo e, com certeza, o apoio fica ainda mais significativo com este tipo de ação. Amor e solidariedade cabem em qualquer espaço, é só a gente procurar onde encaixar", diz o realizador.

Para viabilizar essa doação, Bruno contou com o projeto Eh Aqui Doações, que aceita, coleta e faz a triagem e encaminhamento de livros doados para bibliotecas, ONGs e outras instituições que trabalham com populações em vulnerabilidade social. Desde a sua criação, a Eh Aqui já distribuiu mais de 22,3 mil livros, em mais de 40 cidades do Brasil.

Além de estimular apoios para a própria campanha, esse tipo de iniciativa - que já foi utilizadas por vários realizadores bem sucedidos, como as dos livros Casacadabra, As Histórias do Pequeno Patachu e Conversa com Criança: Presença - Caminho - amplia o impacto social dos projetos e fortalece ainda mais as relações entre autores, editores e leitores.

"Eu ficaria muito feliz de receber uma mensagem de um jovem do outro lado do país contando que recebeu meu livro e adorou e, melhor, que recebeu por meio da doação. Tenho certeza de que tem gente que gostaria de consumir mais literatura, mas a vida não dá condições. Se 1 desses 100 livros que estou doando mudar a vida de alguém, o projeto terá sido mais que um sucesso", conclui Bruno Fontes. Ainda dá tempo de participar dessa corrente: a campanha do livro O Que Eu Faço com a Saudade? acaba em 7 dias. Corre lá: https://www.catarse.me/brunofontes

Raíssa Pena
Jornalista, designer gráfica, heavy user de pão-de-queijo e diretora de Publicações do Catarse.

Talvez você se interesse...

Junte-se à conversa