Catarse na Estrada: Um mecenas em Brasília

Passei três dias na capital federal e em pouco tempo conheci muita gente realizadora e inspiradora.

Cheguei em Brasília com a missão de promover mais uma edição da oficina sobre financiamento coletivo (é a terceira vez na cidade, sempre com ingressos esgotados), e aproveitei pra falar com algumas pessoas que estão ativamente mudando o cenário criativo por lá e que acredito que vocês deveriam conhecer. Foram tantas boas conversas que acho que eu poderia escrever um livro, mas tentarei resumir tudo em 3 posts. No primeiro deles, apresento um cara importante para realizadores do país inteiro.

Um mecenas em Brasília

Nosso primeiro grande personagem é médico, pediatra e já participou da realização de mais de 100 projetos no Catarse. Não, ele não é um empreendedor em série, mas o Andersen Fernandes é a 2ª pessoa em Brasília que mais apoiou projetos: 137 contribuições! A gente acredita que tão importante quanto quem faz é quem apoia quem faz (likes infinitos para a Shoot The Shit que organizou brilhantemente essa ideia!).

Quando entrei em contato com ele pelo whatsapp pra saber se ele topava um papo na nossa visita à Brasília, vi de cara que o financiamento coletivo realmente fazia parte de sua vida: sua foto de perfil é uma caricatura que foi recompensa do projeto Cueca Por Cima das Calças, desenhada pelo realizador em série Rafael Koff. No ano seguinte, na nova campanha do Koff, foi a vez do Andersen apoiar o projeto para ter uma caricatura (pra dar de presente) da sua esposa. <3

caricatura feita por Rafael Koff

 Faz 3 anos que ele conheceu o crowdfunding, através do lindo projeto da animação As Aventuras de Leca e Seus Amigos (o Paulo, realizador, mora há mais de 40 anos no Hospital das Clínicas devido à poliomielite; e lá mesmo ele estudou animação para poder lançar sua primeira série). Os projetos que ele mais costuma apoiar são os de quadrinhos, mas música, sociais, jogos, literatura, psicologia, eventos, tecnologia esporte e cinema também fazem parte do seu vasto portfólio de mecenas.

Ele contou que depois que a primeira filha dele nasceu, teve que diminuir os apoios cujas recompensas eram físicas porque faltava espaço na casa para as suas coleções. Mesmo assim, não deixou de contribuir e começou a criar sua galeria de recompensas virtuais. Com carinho, contou pra gente de algumas campanhas que tocaram ele, como a do Conjunto Subindo a Ladeira, com um CD homenageando Chiquinha Gonzaga, a Corrida Maluca de Cadeirantes e a do Núcleo Universitário de Ópera de São Paulo, que mesmo depois de 2 anos de campanha continua compartilhando com a comunidade apoiadores o que o NUO feito.

Depois de um café da manhã com direito a chocolate quente e croissant na incrível La Boulangerie, nos despedimos e ele falou que aguarda ansiosamente um app do Catarse... parece uma boa ideia, não?

 

Diego Reeberg
Adepto voraz do mecenato digital e viciado em Calvino e Saramago, gosta de vasculhar coisas bonitas e pessoas talentosas nos cantos empoeirados da internet.

Talvez você se interesse...

Junte-se à conversa

Catarse na Estrada: Um mecenas em Brasília

Passei três dias na capital federal e em pouco tempo conheci muita gente realizadora e inspiradora.

Cheguei em Brasília com a missão de promover mais uma edição da oficina sobre financiamento coletivo (é a terceira vez na cidade, sempre com ingressos esgotados), e aproveitei pra falar com algumas pessoas que estão ativamente mudando o cenário criativo por lá e que acredito que vocês deveriam conhecer. Foram tantas boas conversas que acho que eu poderia escrever um livro, mas tentarei resumir tudo em 3 posts. No primeiro deles, apresento um cara importante para realizadores do país inteiro.

Um mecenas em Brasília

Nosso primeiro grande personagem é médico, pediatra e já participou da realização de mais de 100 projetos no Catarse. Não, ele não é um empreendedor em série, mas o Andersen Fernandes é a 2ª pessoa em Brasília que mais apoiou projetos: 137 contribuições! A gente acredita que tão importante quanto quem faz é quem apoia quem faz (likes infinitos para a Shoot The Shit que organizou brilhantemente essa ideia!).

Quando entrei em contato com ele pelo whatsapp pra saber se ele topava um papo na nossa visita à Brasília, vi de cara que o financiamento coletivo realmente fazia parte de sua vida: sua foto de perfil é uma caricatura que foi recompensa do projeto Cueca Por Cima das Calças, desenhada pelo realizador em série Rafael Koff. No ano seguinte, na nova campanha do Koff, foi a vez do Andersen apoiar o projeto para ter uma caricatura (pra dar de presente) da sua esposa. <3

caricatura feita por Rafael Koff

 Faz 3 anos que ele conheceu o crowdfunding, através do lindo projeto da animação As Aventuras de Leca e Seus Amigos (o Paulo, realizador, mora há mais de 40 anos no Hospital das Clínicas devido à poliomielite; e lá mesmo ele estudou animação para poder lançar sua primeira série). Os projetos que ele mais costuma apoiar são os de quadrinhos, mas música, sociais, jogos, literatura, psicologia, eventos, tecnologia esporte e cinema também fazem parte do seu vasto portfólio de mecenas.

Ele contou que depois que a primeira filha dele nasceu, teve que diminuir os apoios cujas recompensas eram físicas porque faltava espaço na casa para as suas coleções. Mesmo assim, não deixou de contribuir e começou a criar sua galeria de recompensas virtuais. Com carinho, contou pra gente de algumas campanhas que tocaram ele, como a do Conjunto Subindo a Ladeira, com um CD homenageando Chiquinha Gonzaga, a Corrida Maluca de Cadeirantes e a do Núcleo Universitário de Ópera de São Paulo, que mesmo depois de 2 anos de campanha continua compartilhando com a comunidade apoiadores o que o NUO feito.

Depois de um café da manhã com direito a chocolate quente e croissant na incrível La Boulangerie, nos despedimos e ele falou que aguarda ansiosamente um app do Catarse... parece uma boa ideia, não?

 

Sobre quem falamos nessa história

No items found.

Sobre quem falamos nessa história

No items found.
10 anos de histórias
Conheça outras histórias >
No items found.

Quer fazer parte
dos próximos 10 anos
do Catarse?

Comece seu projeto