7 dicas para você começar a ler clássicos

Existem dois tipos de pessoas: aquelas que tiveram que encarar algum clássico como leitura obrigatória na escola e curtiram, e as que simplesmente detestaram.

Se você faz parte do segundo grupo, este post é especialmente para você, porque apresentarei 7 dicas que certamente vão mudar sua experiência de leitura. E, spoiler: são tão boas que ajudam até quem já gosta e tem afinidade com a leitura dos clássicos. Bateu uma curiosidade aí? Então, confira!

O que torna um livro um clássico?

Você já se pegou segurando um livro que todo mundo chama de clássico e se perguntando: “o que tem de tão especial nessa história, que o fez ganhar esse título?”

Italo Calvino, um dos mais importantes escritores italianos do século XX, refletiu bastante sobre isso, tanto que se universalizou uma definição a partir de seus pensamentos, que diz que:

Um clássico é um livro que nunca terminou de dizer aquilo que tinha para dizer, é uma obra que provoca incessantemente uma nuvem de discursos críticos entre si, mas continuamente a repele para longe. É aquilo que persiste como rumor, mesmo onde predomina a atualidade mais incompatível.

Dicas para embarcar de vez na leitura de um clássico

  1. Participe de leituras coletivas

Participar de leituras coletivas é uma ótima maneira de embarcar na experiência de ler um clássico. Nessa oportunidade, você e os demais leitores poderão conversar sobre suas experiências de leitura, compartilhar ideias, ganhar novos entendimentos e enriquecer a experiência uns dos outros ao discutir sobre a obra.

Aqui no Catarse você descobre grupos como o Clube do Livro Querido Clássico, um espaço virtual criado e mediado por Mia Sodré, mestranda em Estudos Literários na UFRGS e graduada em Comunicação Social/Jornalismo pela PUCRS. Além disso, Mia é autora do livro Oráculo, leitora crítica, analista literária e parecerista para editoras e clubes como a TAG.

Sua proposta é reunir mensalmente pessoas interessadas em ler clássicos da literatura e discutir sobre eles. Com todo seu entusiasmo, conhecimento e repertório literário, Mia media e tem propostas de conteúdos que enriquecem escalonadamente a experiência de leitura. Você pode conferir os títulos escolhidos para este ano de 2024 no blog Querido Clássico, bem como ter acesso a diversos posts incríveis que analisam arte, cinema, história, música, seriados e cultura pop.

  1. Antes de começar a ler, confira em que período se passa a narrativa

Essa dica pode parecer estranha à primeira vista, afinal, um clássico pode retratar desde eras mesozóicas até cenários futuristas. No entanto, verificar o ano em que se passa a narrativa pode ser crucial para iniciar a leitura preparado para questões como costumes, valores, linguagem, ideias e pensamentos da época retratada. A Andarilha, por exemplo, é um clássico romance histórico de 1814 carregado de influências góticas publicado pela Pedrazul!

  1. Se prepare para a linguagem e tenha um dicionário ao lado

Todo clássico é um livro que foi escrito há muitas décadas. Dito isto, quanto mais o tempo passa, muda-se o quê? A linguagem. Será muito comum encontrar expressões, regionalismos, oralidade e palavras que não estão imersas na contemporaneidade. É necessário criar uma atitude mental, ter um dicionário ao lado e pesquisar as expressões que desconhece, porque esse é um dos principais pontos que fazem os leitores desanimarem da leitura.

  1. Escolha uma boa edição, principalmente de literatura estrangeira

Uma boa edição tem seu valor. É perceptível o cuidado na tradução, preparação e revisão: os profissionais por vezes inserem notas com explicações contextuais que agregam a leitura. Tem sido cada vez mais comum a inserção de apresentação, prefácio, posfácio, que são textos que direcionam e contextualizam a imersão na narrativa.

Sobre as edições estrangeiras, se possível, escolha sempre as que foram traduzidas a partir do idioma original, pois isso influencia diretamente na experiência de leitura.

  1. Comece lendo clássicos curtos e do seu idioma

Para algumas pessoas, ler um clássico é desafiador, então, que tal facilitar um pouco? Comece por títulos de autores de sua nacionalidade, pois assim você conseguirá perceber os aspectos que os consagram como clássicos e poderá associá-los com seus conhecimentos, o que tornará a experiência muito mais enriquecedora. Isso te ajudará a criar repertório para ir preparado quando partir para literaturas estrangeiras. 

E, nessa fase inicial, por que não começar por livros que não são “camalhaços”? Escolha clássicos mais curtos, que permitam que você mergulhe na experiência da leitura sem se sentir sobrecarregado. Com o tempo e a prática, você se sentirá mais confiante para se aventurar em obras mais extensas e complexas.

  1. Comece por clássicos de gêneros ou temáticas que gosta

Assim como tudo na vida, tem clássicos que podem ser mais interessantes para uns do que para outros. Se você estiver disposto a ler um, o ideal é começar por uma temática e/ou gênero que goste, pois assim as chances de concluir a leitura aumentam. Além disso, faça uma pesquisa, veja os títulos recomendáveis para quem está iniciando nessa vasta lista de títulos.

  1. Experimente diferentes formatos de leitura

Além de optar por edições físicas, considere explorar outras formas de acesso aos clássicos, como e-books, audiolivros ou até mesmo recursos online, como sites que disponibilizam textos clássicos gratuitamente. Essa variedade de formatos pode tornar a leitura mais acessível. Uma outra opção é buscar obras adaptadas a partir de clássicos, como histórias em quadrinhos inspiradas em clássicos da literatura, como o caso da HQ Frankenstein, da Risco Editora.

Para continuar refletindo…

O que é um clássico? Entenda como algo se torna atemporal

Leitura obrigatória: Por que ler os clássicos, de Italo Calvino

Conheça os 200 melhores livros clássicos segundo mil leitores em 2023

Lorena Camilo
Mestra em Estudos Literários, editora, redatora e aficionada por arte e cultura pop.

Talvez você se interesse...

Junte-se à conversa

7 dicas para você começar a ler clássicos

Existem dois tipos de pessoas: aquelas que tiveram que encarar algum clássico como leitura obrigatória na escola e curtiram, e as que simplesmente detestaram.

Se você faz parte do segundo grupo, este post é especialmente para você, porque apresentarei 7 dicas que certamente vão mudar sua experiência de leitura. E, spoiler: são tão boas que ajudam até quem já gosta e tem afinidade com a leitura dos clássicos. Bateu uma curiosidade aí? Então, confira!

O que torna um livro um clássico?

Você já se pegou segurando um livro que todo mundo chama de clássico e se perguntando: “o que tem de tão especial nessa história, que o fez ganhar esse título?”

Italo Calvino, um dos mais importantes escritores italianos do século XX, refletiu bastante sobre isso, tanto que se universalizou uma definição a partir de seus pensamentos, que diz que:

Um clássico é um livro que nunca terminou de dizer aquilo que tinha para dizer, é uma obra que provoca incessantemente uma nuvem de discursos críticos entre si, mas continuamente a repele para longe. É aquilo que persiste como rumor, mesmo onde predomina a atualidade mais incompatível.

Dicas para embarcar de vez na leitura de um clássico

  1. Participe de leituras coletivas

Participar de leituras coletivas é uma ótima maneira de embarcar na experiência de ler um clássico. Nessa oportunidade, você e os demais leitores poderão conversar sobre suas experiências de leitura, compartilhar ideias, ganhar novos entendimentos e enriquecer a experiência uns dos outros ao discutir sobre a obra.

Aqui no Catarse você descobre grupos como o Clube do Livro Querido Clássico, um espaço virtual criado e mediado por Mia Sodré, mestranda em Estudos Literários na UFRGS e graduada em Comunicação Social/Jornalismo pela PUCRS. Além disso, Mia é autora do livro Oráculo, leitora crítica, analista literária e parecerista para editoras e clubes como a TAG.

Sua proposta é reunir mensalmente pessoas interessadas em ler clássicos da literatura e discutir sobre eles. Com todo seu entusiasmo, conhecimento e repertório literário, Mia media e tem propostas de conteúdos que enriquecem escalonadamente a experiência de leitura. Você pode conferir os títulos escolhidos para este ano de 2024 no blog Querido Clássico, bem como ter acesso a diversos posts incríveis que analisam arte, cinema, história, música, seriados e cultura pop.

  1. Antes de começar a ler, confira em que período se passa a narrativa

Essa dica pode parecer estranha à primeira vista, afinal, um clássico pode retratar desde eras mesozóicas até cenários futuristas. No entanto, verificar o ano em que se passa a narrativa pode ser crucial para iniciar a leitura preparado para questões como costumes, valores, linguagem, ideias e pensamentos da época retratada. A Andarilha, por exemplo, é um clássico romance histórico de 1814 carregado de influências góticas publicado pela Pedrazul!

  1. Se prepare para a linguagem e tenha um dicionário ao lado

Todo clássico é um livro que foi escrito há muitas décadas. Dito isto, quanto mais o tempo passa, muda-se o quê? A linguagem. Será muito comum encontrar expressões, regionalismos, oralidade e palavras que não estão imersas na contemporaneidade. É necessário criar uma atitude mental, ter um dicionário ao lado e pesquisar as expressões que desconhece, porque esse é um dos principais pontos que fazem os leitores desanimarem da leitura.

  1. Escolha uma boa edição, principalmente de literatura estrangeira

Uma boa edição tem seu valor. É perceptível o cuidado na tradução, preparação e revisão: os profissionais por vezes inserem notas com explicações contextuais que agregam a leitura. Tem sido cada vez mais comum a inserção de apresentação, prefácio, posfácio, que são textos que direcionam e contextualizam a imersão na narrativa.

Sobre as edições estrangeiras, se possível, escolha sempre as que foram traduzidas a partir do idioma original, pois isso influencia diretamente na experiência de leitura.

  1. Comece lendo clássicos curtos e do seu idioma

Para algumas pessoas, ler um clássico é desafiador, então, que tal facilitar um pouco? Comece por títulos de autores de sua nacionalidade, pois assim você conseguirá perceber os aspectos que os consagram como clássicos e poderá associá-los com seus conhecimentos, o que tornará a experiência muito mais enriquecedora. Isso te ajudará a criar repertório para ir preparado quando partir para literaturas estrangeiras. 

E, nessa fase inicial, por que não começar por livros que não são “camalhaços”? Escolha clássicos mais curtos, que permitam que você mergulhe na experiência da leitura sem se sentir sobrecarregado. Com o tempo e a prática, você se sentirá mais confiante para se aventurar em obras mais extensas e complexas.

  1. Comece por clássicos de gêneros ou temáticas que gosta

Assim como tudo na vida, tem clássicos que podem ser mais interessantes para uns do que para outros. Se você estiver disposto a ler um, o ideal é começar por uma temática e/ou gênero que goste, pois assim as chances de concluir a leitura aumentam. Além disso, faça uma pesquisa, veja os títulos recomendáveis para quem está iniciando nessa vasta lista de títulos.

  1. Experimente diferentes formatos de leitura

Além de optar por edições físicas, considere explorar outras formas de acesso aos clássicos, como e-books, audiolivros ou até mesmo recursos online, como sites que disponibilizam textos clássicos gratuitamente. Essa variedade de formatos pode tornar a leitura mais acessível. Uma outra opção é buscar obras adaptadas a partir de clássicos, como histórias em quadrinhos inspiradas em clássicos da literatura, como o caso da HQ Frankenstein, da Risco Editora.

Para continuar refletindo…

O que é um clássico? Entenda como algo se torna atemporal

Leitura obrigatória: Por que ler os clássicos, de Italo Calvino

Conheça os 200 melhores livros clássicos segundo mil leitores em 2023

Sobre quem falamos nessa história

No items found.

Sobre quem falamos nessa história

No items found.

Traga seu projeto criativo ao mundo!

Comece seu projeto